• Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
  • YouTube - círculo cinza

Sobre

A Viva a Vida desenvolve atividades educacionais, culturais, de protagonismo juvenil e mobilização comunitária para Empoderar Adolescentes, Jovens e Crianças e Contribuir à Prevenção ao Abuso de Drogas.

O QUE FAZEMOS / O QUE ACREDITAMOS

Atualmente, a Associação Viva a Vida atua em Vila de Abrantes, bairro com alto índice de violência e violações de diretos.  Acreditamos que os jovens que moram nesse bairro merecem oportunidades para aumentar sua autoestima, engajar com sua comunidade, desenvolver sua autonomia e fazer escolhas saudáveis para seu presente e seu futuro. 

HISTÓRICO

A Associação Viva a Vida foi fundada por Gisella Hanley Santos em 2003 para responder a demanda por um centro de tratamento ao abuso de drogas atendendo meninos (12 a 18 anos). Em 2006, a Viva a Vida recebeu reconhecimento nacional quando foi premiada com um Diploma de Mérito pelo Escritório Nacional de Anti-Drogas (SENAD). 

Em 2010, por acreditar que trabalhar com a família, escola e comunidade pode ter mais impacto, a Associação mudou o foco para atividades de Prevenção ao Abuso de Drogas.  Em 2011, fomos chamados para trabalhar com adolescentes nas escolas públicas em Vila de Abrantes e desde então estendemos nossas atividades para trabalhar também com jovens, pais e membros da comunidade. 

 Equipe e Diretoria

A Associação Viva a Vida conta com uma equipe profissional, qualificada e experiente, que inclui Especialistas em Assistência Social, Militância, Educação e Dependência Química.   A nossa Diretoria (Presidenta, Diretora Financeira, 3 Conselheiros Fiscais) são todos da comunidade em Vila de Abrantes e inclui um jovem participante do Grupo de Teatro V2. 

Presidenta  - Angela Claudia Durante Colombi
Diretora Financeira – Ana Cristina Franco Veloso Cruz
Conselheira Fiscal – Marcia  Fortunato  Silva
Conselheira Fiscal – Edilene Hungria da Silva
Conselheira Fiscal – Lucas de  Jesus
Suplente – José Viana dos Santos  

Coordenadora Geral – Cressida Roper Evans
Coordenadora Administrativa – Maria das Graças Almeida da Cruz
Gestora de Projetos – Evelin Salles de Moraes Costa Pinto
Educador – Marcos Paulo de Oliveira Silva
Professora de Teatro – Simone Requião
Voluntário de Teatro – Antônio Ferreira de Souza Filho

SOBRE VILA DE  ABRANTES

Vila de Abrantes é um bairro semi rural na orla do município de Camaçari, com uma população aproximada de 48.000 habitantes.

 

Camaçari tem graves índices de violência contra jovens e adolescentes. A 5ª Edição do Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) aponta que Camaçari tem um IHA de 9,82 (3 vezes mais do que a média nacional), ocupando o 5º lugar nacional - quase 1 em cada 100 jovens no município será assassinado antes de completar 18 anos.

Apesar desses índices infelizes, os serviços públicos no bairro são enfraquecidos e sobrecarregados e, salvo Viva a Vida, somente conhecemos três outras iniciativas comunitárias que atuam no bairro.​

"A Viva a Vida acredita que todos os jovens têm direito a uma vida livre de violações dos seus direitos"

Um diagnóstico realizado pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de Camaçari (CMDCA), aponta:

No município inteiro, Vila de Abrantes tem mais casos de adolescentes apontados como autores de atos infracionais e, na distribuição dos atos infracionais, Vila de Abrantes se destaca dentre os mais frequentes, sendo local de ocorrência de 16,67% deles com uma prevalência de “homicídio” e “tráfico;
 
Quanto ao local de moradia das crianças e adolescentes com seus diretos violados da orla, Vila de Abrantes tem o maior número de casos.

 

 

Principais resultados:

nos últimos 3 anos (2016 a 2018) 

PROJETOS

​• Mais do que 490 adolescentes e jovens formados em direitos humanos e socioambientais, e combate à violência e racismo; 

• Mais do que 150 adolescentes informados sobre a importância de planejarem seu futuro com oficinas de Plano de Vida;
• Aproximadamente 30 adolescentes desenvolvendo e apresentando peças comunitárias no Grupo de Teatro V2, com 
• Mais do que 1000 pessoas na plateia das apresentações, podendo refletir sobre violência, racismo, desestrutura familiar e outras violações
• Aproximadamente 70 jovens formados em protagonistas juvenis usando arte-educação 

INTERVENÇÕES

• Mais do que 2.000 pessoas atingidas pelas exposições de desenho, fotografia e grafite produzidos pelos jovens participantes
• Cerca de 170 pessoas assistindo e participando das sessões de Cine e Sarau
• Quase 300 pessoas participando de Agendas Abertas e Eventos de Viva a Vida

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now